Moblin 2.0. Ótima opção para Netbooks.


Bom com a grande variedade de netbooks por ai fica cada vez mais difícil escolher um modelo para adquirir, seja pelo preço (que aqui no Brasil não difere muito dos NoteBooks maiores), marca, capacidade wherever. Já no campo do sistema operacional não são tantas as escolhas, uma vez que não é tão trivial re/instalar um sistema operacional nesses pequenos, a maioria fica com o que veio nele de fábrica e os mais fuçadores acabam (estragando) trocando o sistema operacional.

Tela do Moblin 2.0 Beta

Tela do Moblin 2.0 Beta

Embora tenham algumas opções de sistema operacional os mais populares, ou seja, os que vem já instalados de fabrica são: Xandros (Asus Eeepc) e o Ubuntu Remix ambos são Gnu/Linux, o primeiro vem por padrão em muitos modelos do pequeno da Asus e o Ubuntu Remix corre por fora querendo abocanhar uma fatia desse mercado do outro lado temos o Windows (fim de carreira) XP que por ser considerado leve roda bem nessas máquinas (mas depois de instalar antivírus, antispyware e mais um monte de “antis” essa leveza vai para o beleléu sem contar que é um sistema obsoleto) outro que pode tomar o lugar do Windows XP é o Windows Seven, que vai ter versão para Netbooks, vamos ver no que vai dar.
Temos outras distros que fizeram suas versões para Netbooks também, mas ao meu ver são adaptações para cobrir uma lacuna ou tentar não desapontar os fãs da distro e dizer “-Ei nós também temos uma versão para Netbooks”, pode ser que isso mude no futuro quem sabe.

Nos últimos dias saiu a noticia que a Intel estava trabalhando em uma plataforma (Linux) para netbooks baseados em Atom, denominada Moblin 2.0 que esta em fase Beta mas já mostra a que veio. Ao que tudo indica essa distro não vai ser apenas mais uma no mundo, lutando pela liderança dos Sistemas Operacionais para Netbooks.

Oquê você tem um netbook ficou interessado em usar esse tal de Moblin 2.0 então os seus problemas acabaram (de começar hehehe), nas próximas linhas vou escrever como colocar o sistema Moblin 2.0 em um pendrive a partir do Linux e do Windows também para que você, meu amigo minha amiga, possa desfrutar e ajudar a melhorar esse S.O. Bora então.

1.baixar o Moblin (Dahh)
2.tenha um pendrive de pelo menos 1GB
3.copiar os arquivos da imagem para o Pendrive – calma que já vou explicar
4.dar o boot no netbook pelo pendrive
5.requerimento imprescindível – tem que ter um NetBook com chipset Intel

Botando a mão na massa. De preferência as duas.

No Windows:
Baixe esse programa.

Descompacte e rode o executável W32DiskImager.exe (veja a imagem)

Selecione a imagem do Moblin (.img)

Escolha a letra correspondente ao seu pendrive

Clique no botão “write”para começar a cópia dos arquivos para o pendrive (é uma cópia byte a byte, mais explicações na versão para linux do mesmo tutorial no próxmo post).

Agora de o boot no netbook pelo pendrive e divirta-se.

Até o próximo post.

Jornal da Globo: Não falou do Linux, denovo!


É sempre bom ver a mídia escrevendo e mostrando matérias sobre tecnologia, internet e afins.
No Jornal da Globo foi aberto um espaço importante para os assuntos relacionados a tecnologia e seus efeitos na sociedade espero que seja bem aproveitado indo além de matérias superficiais e mostrando os dois lados.

Na reportagem que foi ao ar na ultima quinta-feira dia 05 de fevereiro, o jornal da Globo e seu espaço reservado para assuntos digitais chamada de Conecte nos apresentou (bom pelo menos eu estava acordado) uma reportagem que tinha como intuito de mostrar a Informática como Ferramenta na Educação.

A reportagem mostrou casos de alunos de escolas públicas que já fazem uso de computadores em sala de aula para outras aulas além de informática, uma escola (rica) particular que cada aluno tem um notebook para estudar, conversou com alunos sobre o que eles achavam daquela maneira de estudar, falou sobre blogues ajudando no aprendizado, e pais que acompanhavam os seu filhos nessa “janela” para o mundo, que é a internet.

Exatamente, Janela (windows para quem ainda não entendeu o trocadilho) na reportagem, que foi até legal, mas novamente não foi falado nada a respeito de software livre, mesmo,eles, tendo várias oportunidades tais como as frases que incluiam programas grátis no meio ou  usar livremente o programa (computador) em qualquer lugar que esteja.

Mas não é de agora, dando uma vasculhada no espaço da coluna conecte não vi nada sobre software livre ou Linux e já que querem, e não da para falar de informática mostrando apenas computadores com aquela famigerada tela do Windows.

No plano educacional principalmente no que diz respeito aos pequeninos poderiam ter falado da interface que foi originalmente criada no OLPC (que não falaram nada respeito até hoje) chamada Sugar.
O Sugar pode ser instalado no Fedora 10 e apresenta a o usuário um gerenciador de interface gráfica (gerenciador de janelas) voltado para educação com vário programas educativos muito bons prontos para a criançada usar, brincar e aprender se divertindo e o melhor que o não só o programa (software) é grátis mas o sistema no qual ele roda também  é,não sendo assim necessario ter um sistema proprietário instalado no computador, para sitar apenas um exemplo.

Espero que em reportagens futuras a Globo possa dar mais importância ao software livre.

Existem vários temas que poderiam ser abordados:

  • programas pagos x programas free – quais as alternativas
  • Linux x Windows
  • Firefox – porque não? Afinal eles noticiaram o lançamento do chrome.
  • OpenOffice como alternativa a o Ms Office
  • Casos de sucesso – empresas que fazem uso de software livre
  • profissionais de TI – como anda o mercado de trabalho com a crise mundial (acho que essa seria boa)

Como vimos há várias opções.
Mesmo assim é valida a iniciativa, eu como amante de informática gosto de sempre ver qual é a visão dos outros sobre o assunto Informática.

Link da matéria com video da reportagem  aqui

Ext4 bate Ext3 em testes.


Segundo a  Linux Today sobre um Benckmark entre os formatos Ext3 e Ext4, o Ext4 vence em vários aspectos, veja os resultados  em números e em gráficos no link ,em inglês, mas que são perfeitamente inteligiveis.

Note a grande diferença de releitura do Ext4 para o Ext3 que foi tão grande que refizeram os testes achando que estavam errados.

Ao  quê  parece muitas distribuições atualmente já tem suporte a esse sistema de arquivos, o Fedora 10 por exemplo  já tem como opção de formatação o Ext4Dev, e pelo visto no Fedora 11 será o sistema de arquivos padrão, segundo nos informa o Br-Linux.org.

Link para o Benchmark  entre dos dois sistemas de arquivos aqui.

Fedora 10: Rodando do Pendrive e Com Senhas


fedora_logo_3d_1Um sistema completo (BrOffice.org, internet, flash e java) rodando direto do pendrive, fácil de instalar, passível de instalar novos aplicativos (respeitando o limite de espaço), a configuração não é perdida no próximo boot (como acontece nos live-CDs) e ainda por cima seguro (com senha de root e senha no login do usuário).

Dando continuidade a uma sequência de posts sobre o Fedora no pendrive neste post vou demonstrar como colocar senha do root e usuário comum e também desabilitar o login automático  colocando uma camada extra na segurança do sistema.
Let’s go.

Logo após a instalação do Fedora 10 no seu pendrive você se ve em uma situação de insegurança, pois é, por padrão o root esta sem senha e o usuário padrão do sistema – liveuser – esta com login automático logo temos um cenário inseguro, não porque algum cracker vá te invadir e roubar os seus dados (tão importantes para você)  e sim porque da forma que esta qualquer um tem acesso total ao computador no qual esta rodando o sistema via usb (arquivos, configurações e periféricos). Tanto poder assim é muito perigoso não acham?

Senha do root e liveuser:

Primeiramente vamos abrir o terminal e digitar

$su

Como previsto o sistema não vai pedir senha e se tornar root.
Agora como root vamos digitar o comando:

#passwd root

Aparecerá a seguinte mensagem:

Mudando senha para o usuário root.

Nova UNIX senha:

Importante: Escolha uma senha forte com letras, números, maiúsculas e minusculas se você digitar uma senha fraca de qualquer espécie o sistema vai avisar quanto a fraqueza da senha mas, se não quiser escolher outra senha mais dificil é só repetir a mesma senha (de duas letras não pode) e finalizar a troca de senha do root.

Agora faça a mesma coisa para o usuário liveuser:

#passwd liveuser

E repita duas a vezes a senha escolhida e já teremos trocado as senhas do root e do liveuser.

Desabilitar login automático:

Vá para a pasta gdm e abra o arquivo custom.conf.

#cd /etc/gdm
#gedit custom.conf

Vai aparecer algo assim:

# GDM configuration storage

[xdmcp]

[chooser]

[security]

[debug]

[daemon]

TimedLoginEnable=true

TimedLogin=liveuser

TimedLoginDelay=60

Comente as ultimas 3 linhas colocando um # na frente salve e feche o arquivo. Esse procedimento é melhor do que apagar o aquivo, pelo fato de que se quisermos voltar como era antes (login automático) é só descomentar as linhas.

Faça o mesmo com o arquivo chamado custom.conf.livna-config-backup, que nada mais é um backup do primeiro.

Agora é só reiniciar o sistema pela usb novamente que na tela de inicialização já vai aparecer o campo para digitar a senha.

Leia também:

Instalando o Fedora 10 em um pendrive.

Instalando o Fedora 10 em pendrive parte 2

Fedora 10 no PenDrive parte 2.


pen-lego-drive

pen-lego-drive

Para quem acompanhou o tutorial de instalação do Fedora 10 no Pendrive e teve dificuldades em conseguir no Fedora 10 versão nacional com o BrOffice.org este post tentará dar uma mãozinha.

Obs: Esse procedimento eu fiz após frustrantes procuras na internet a respeito do erro que dava. E a luz no fim do túnel so veio quando eu fiz o procedimendo no Windows, e deu certo então chequei a conclusão que não era necessario estar o pendrive desmonstado para fazer o procedimento, já que o windows não tem esse recurso (ele não tem nenhum recurso mesmo!).

Então mãos a Obra.

Um Bug (não sei se é um bug, mas aconteceu comigo) que me irritou durante uns dois dias, foi o fato de que o Liveusb-Creator 3,2 ultima versão, do Fedora 10 não estava funcionando corretamente com o Spin do Fedora 10 em Português (BrOffice.org).
Tudo começou quando fui instalar o Fedora-10-BROffice em um pendrive diferente do que eu já havia instalado várias vezes antes(nota: o mesmo processo foi feito como o Fedora 9 e o Fedora 10 Pré Release sem problemas) mas desta vez o negócio teimava em dar errado, simplesmente dava uma mensagem de divide não encontrado (ou algo do gênero) depois de muito procurar na Internet eu não achei nada, então tive uma ideia e botei-a em prática.

Vamos lá. Primeiro coloque o pendrive e espere ele ser reconhecido pelo sistema, irá aparecer no seu desktop um ícone com um nome, que é o mesmo nome que o sistema criou na pasta /media, no meu caso KINGSTON, clique com o botão direito do mouse sobre o ícone na área de trabalho e clique em desmontar volume, o ícone irá desaparecer e a pasta criada no diretório /media também.
Agora abra um terminal e torne-se root:

$ su
sua senha

Vá para o diretório /media.

# cd /media

E crie uma pasta (ponto de montagem) com o mesmo nome que o sistema reconheceu o seu pendrive. No meu caso KINGSTON

#mkdir KINGSTON -> Lembre-se de respeitar as maiúsculas e minusculas
# mount /dev/sdb1 /media/KINGSTON

Onde o “#” não precisa digitar “/dev/sdb1” é o nome dado ao meu pendrive no diretório /dev, mude de acordo com o seu sistema, e “/media/KINGSTON” é o diretório (pasta, ponto de montagem – chame como quiser) que você criou.

Agora prossiga com o tutorial normalmente, que dará (para mim deu) certo.

IMPORTANTE: Uma vez montado o pendrive como foi descrito acima não será possível desmontar via clique do mouse, botão direito e desmonta volume, terá que ser digitado o seguinte comando como root:

# umount /media/KINGSTON

Lembre de trocar o KINGSTON pelo nome correto do seu pendrive e não pode ser dado o comando dentro da pasta tem que estar fora da pasta KINGSTON.
Espero ter ajudado e se alguém souber explicar o porque desse Bug (se for um bug) nos diga por favor.

Leia também:

Fedora 10 no Pendrive (liveusb) com senhas

Instalando o Fedora 10 em um pendrive de 2GB

Como instalar o Ubuntu 8.10 em um pendrive

Dica de leitura: Shell Script Profissional

BrOffice e o Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.


brofficeVocê sabia que a partir de janeiro de 2009 entrará em vigor o novo Tratado Ortográfico da língua portuguesa, baixe o pdf com os detalhes aqui.

Muitas das regras da nossa língua vão mudar (acentos,hifenização etc), visando uma compatibilidade maior da escrita nos demais lugares onde é usada a Língua Portuguesa num processo de homogenização gradativa que terá ainda não se sabe quando mais mudanças adaptativas.

Só que os usuários do BrOffice.org/OpenOffice já podem usufruir de um corretor ortográfico com todas essas regras incluídas, o projeto se chama Vero e contem mais de 9 milhões de palavras inclusas em seu vocabulário (bom né?).

Para aqueles que usam a família mozilla há também um corretor para vocês, é só baixa-lo no site, arrasta-lo para qualquer parte do firefox, clicar em instalar reiniciar o firefox e pronto já esta instalado.

Para baixar o Vero para o BrOffice.org clique aqui

O plug-in para  Firefox e ThunderBird baixe aqui (é o mesmo para os dois).

Para saber como instalar no BrOffice.org 3 e outras versões clique aqui.

Para instalar no ThunderBird, basta abrir o mesmo clicar em ferramentas >> complementos na janela que se abrir clicar em instalar e ir até o mesmo arquivo que baixou para o firefox e instala-lo normalmente e reiniciar o ThunderBird logo em seguida.
Dessa maneira você estará atualizado com as mais novas regras de escrita da língua portuguesa.
Vale lembrar que a norma só entra em vigor oficialmente em janeiro de 2009 mas nada impede que você já a utilize e que eu não testei no Windows mas na página de dicas mostra como faze-lo, não dá para adcionar no Office da Microsoft.

Este post foi escrito sob as novas regras e todos os próximos também serão.