WP.me encurtador de URL embutido no WordPress.


alto-e-baixoEncurtadores de url tem aos montes – virou moda junto com o twitter – aqui no brasil o que pega é o migre.me, estes sites/serviços tem a vantagem de pegar uma linha enorme de caracteres difíceis de se entender e trocar por pouco mais de 10 caracteres, isso é especialmente útil no twitter por causa do seu numero limitado de caracteres, 140 para ser exato, ajudando assim a você amigo internauta a escrever mais naquele pequeno retângulo e mesmo assim passar uma mensagem com muitos caracteres inuteis ou um link enorme, que pelo menos você acha imprensidivel para os outros Twitters.

Agora pense na seguinte hipótese, você tem lá o seu blog no wordpress, seja por diversão ou seja pelo dinheiro não importa, você escreve um texto, edita o texto, edita outra vez, lê o seu próprio texto (auto-masoquismo), edita novamente e depois de 3 dias ele ficou legalzinho e você não quer que apenas os dois leitores assíduos do seu blog leiam, você quer mais, você quer divulgar para o mundo então o que você faz? Copia o link do texto entra em um site ou programa que encurta a url cola a linha com o seu link no lugar indicado e depois tem copiar de volta o novo link, já encurtado, e colar no twitter – falando assim parece que é até difícil né?

Essa encheção de linguiça é apenas para dizer que o wordpress agora tem incorporado na edição do post um botão chamado “Get Shortlink” que nada mais é do que um encurtador de url embutido no post, você clica nele e já copia o seu link encurtado então é só colar no twitter e esperar a fama e a glória.

Tá bom não é tudo isso, mas é um recurso a mais, facilita um pouco.

Para que ainda não se situou uma imagem explicativa.

tela do wordpress_cortada

Link para o anuncio em inglês.

Moblin no pendrive parte 2, Linux mode.


Continuando o post passado no qual eu mostrei como colocar o Moblin 2.0 Beta (deve funcionar também com a versão final quando sair) em um pendrive via Windows agora vou explicar como fazer o mesmo procedimento no Linux, a diferença básica é: No windows praticamente você só usou o mouse e no Linux você vai usar mais o teclado pois vamos entra na linha de comando, um mundo assustador onde só os mais fortes sobrevivem, tá bom não é tão difícil assim, acho que é até mais fácil e rápido, uma vez que vai usar somente comandos nativos (quase) do próprio sistema.

Arregasse as mangas e vamos lá.

Essa parte é para você meu caro leitor descobrir o nome do seu dispositivo caso saiba por favo vá para a próxima parte.**Nota o simbolo “#” (jogo da velha) indica que esta logado como root, mas claro que você já sabia disso.

#more /proc/partitions
deve aparecer algo semelhante a isso:

8 0 156250000 sda
8 1 48163 sda1
8 2 135227137 sda2
8 3 1 sda3
8 4 1052257 sda4
8 5 19920568 sda5
Coloque o pendrive e faça o mesmo comando:
A saida vai mudar um pouco acrecentando mais linhas.
Essas linhas são referentes ao seu pendrive.
EX:

8 0 156250000 sda
8 1 48163 sda1
8 2 135227137 sda2
8 3 1 sda3
8 4 1052257 sda4
8 5 19920568 sda5
8 16 7839744 sdb
8 17 7838628 sdb1 – esse é o meu pendrive (mas pode ser o seu também)

Agora que você já sabe qual dispositivo é o seu pendrive vamos ao que interessa.

Passando o Moblin para o pendrive.
Abra um shell (tela preta do capeta para alguns) vá até a pasta que esta o arquivo .img, assim encurta o comando dificultando eventuais erros, e digite o comando tudo isso como root.

#dd bs=4096 if=nomedo_arquivo_.img of=o_seu_dispositivo_usb (ex: /dev/sdb1)

Alerta** Tenha certeza que o dispositivo usb é o correto para não gravar o Moblin em uma partição errada,pois isso pode danificar os seus arquivos.

Tem um jeito com menos passos (tá bom vai, um jeito mais fácil).

Baixe esse script em python *Clique com o botão direito do mouse e depois em “salvar link como”.

De permisão de execução para ele:
#chmod a+x nome_DO_script

 O legal desse script é, que com ele não da para errar ele vai reconhecer automaticamente o seu pendrive e copiar os arquivos para ele, basta fazer da seguinte forma.
Uma obeservação, coloque o script no mesmo diretório em que o Moblin esta, assim facilita as coisas.
Agora digite:

#./image-writer Nome_arq_Moblin.img
Pronto um pendrive pronto e esperando para ser bootado no seu netbook.

Veja a primeira parte desse tutorial aqui.
Assuntos relacionados:

 Fedora 10 no pendrive.
Ubuntu 9.04 Atualizado by Hamacker

Moblin 2.0

Moblin 2.0. Ótima opção para Netbooks.


Bom com a grande variedade de netbooks por ai fica cada vez mais difícil escolher um modelo para adquirir, seja pelo preço (que aqui no Brasil não difere muito dos NoteBooks maiores), marca, capacidade wherever. Já no campo do sistema operacional não são tantas as escolhas, uma vez que não é tão trivial re/instalar um sistema operacional nesses pequenos, a maioria fica com o que veio nele de fábrica e os mais fuçadores acabam (estragando) trocando o sistema operacional.

Tela do Moblin 2.0 Beta

Tela do Moblin 2.0 Beta

Embora tenham algumas opções de sistema operacional os mais populares, ou seja, os que vem já instalados de fabrica são: Xandros (Asus Eeepc) e o Ubuntu Remix ambos são Gnu/Linux, o primeiro vem por padrão em muitos modelos do pequeno da Asus e o Ubuntu Remix corre por fora querendo abocanhar uma fatia desse mercado do outro lado temos o Windows (fim de carreira) XP que por ser considerado leve roda bem nessas máquinas (mas depois de instalar antivírus, antispyware e mais um monte de “antis” essa leveza vai para o beleléu sem contar que é um sistema obsoleto) outro que pode tomar o lugar do Windows XP é o Windows Seven, que vai ter versão para Netbooks, vamos ver no que vai dar.
Temos outras distros que fizeram suas versões para Netbooks também, mas ao meu ver são adaptações para cobrir uma lacuna ou tentar não desapontar os fãs da distro e dizer “-Ei nós também temos uma versão para Netbooks”, pode ser que isso mude no futuro quem sabe.

Nos últimos dias saiu a noticia que a Intel estava trabalhando em uma plataforma (Linux) para netbooks baseados em Atom, denominada Moblin 2.0 que esta em fase Beta mas já mostra a que veio. Ao que tudo indica essa distro não vai ser apenas mais uma no mundo, lutando pela liderança dos Sistemas Operacionais para Netbooks.

Oquê você tem um netbook ficou interessado em usar esse tal de Moblin 2.0 então os seus problemas acabaram (de começar hehehe), nas próximas linhas vou escrever como colocar o sistema Moblin 2.0 em um pendrive a partir do Linux e do Windows também para que você, meu amigo minha amiga, possa desfrutar e ajudar a melhorar esse S.O. Bora então.

1.baixar o Moblin (Dahh)
2.tenha um pendrive de pelo menos 1GB
3.copiar os arquivos da imagem para o Pendrive – calma que já vou explicar
4.dar o boot no netbook pelo pendrive
5.requerimento imprescindível – tem que ter um NetBook com chipset Intel

Botando a mão na massa. De preferência as duas.

No Windows:
Baixe esse programa.

Descompacte e rode o executável W32DiskImager.exe (veja a imagem)

Selecione a imagem do Moblin (.img)

Escolha a letra correspondente ao seu pendrive

Clique no botão “write”para começar a cópia dos arquivos para o pendrive (é uma cópia byte a byte, mais explicações na versão para linux do mesmo tutorial no próxmo post).

Agora de o boot no netbook pelo pendrive e divirta-se.

Até o próximo post.

TwitterFox, use o Twitter no Seu Firefox.


Sou novo no mundo do Twitter, mas descobri uma ferramenta que acho que vai ser bastante útil.
É o TwitterFox que nada mais é uma extensão para o Firefox que abre um pop-up (ala google talk) dentro do seu firefox.
Para instalar é muito simples, entre nesse link e depois clique no botão “adicionar a firefox” e reinicie o Firefox.
Depois de ter instalado e reiniciado o FireFox entre no menu do Firefox em “Ferramentas” -> complementos -> extensões e ache o TwitterFox e clique em preferências, agora é a hora de configurar, coloque seu usuário e senha e pronto só fechar a janela.
Aqui vão umas dicas de uso, isso levando em conta que esta tudo configurado e funcionando.

Para abrir uma janelinha no canto direito com as últimas atulizações (suas, seus seguidores e seguidos) basta teclar a combinação de teclas:
“Ctrl + Shift + p”
vai abrir uma janela no canto inferior direito com as últimas 20 postagens. Nessa janelinha dá para postar e responder twitters.
Já o atalho “Ctrl + Shift + l” (letra éle) deve ser usado quando já estiver com o TwitterFox aberto, ele não faz nada mais do que copiar a URL da página que estiver ativa no Firefox diretamente para o Twitter, muito bom para postar links.
E por último fica o meu Twitter  @mako_reactor.
Boas Twittadas.

Fedora 10: Rodando do Pendrive e Com Senhas


fedora_logo_3d_1Um sistema completo (BrOffice.org, internet, flash e java) rodando direto do pendrive, fácil de instalar, passível de instalar novos aplicativos (respeitando o limite de espaço), a configuração não é perdida no próximo boot (como acontece nos live-CDs) e ainda por cima seguro (com senha de root e senha no login do usuário).

Dando continuidade a uma sequência de posts sobre o Fedora no pendrive neste post vou demonstrar como colocar senha do root e usuário comum e também desabilitar o login automático  colocando uma camada extra na segurança do sistema.
Let’s go.

Logo após a instalação do Fedora 10 no seu pendrive você se ve em uma situação de insegurança, pois é, por padrão o root esta sem senha e o usuário padrão do sistema – liveuser – esta com login automático logo temos um cenário inseguro, não porque algum cracker vá te invadir e roubar os seus dados (tão importantes para você)  e sim porque da forma que esta qualquer um tem acesso total ao computador no qual esta rodando o sistema via usb (arquivos, configurações e periféricos). Tanto poder assim é muito perigoso não acham?

Senha do root e liveuser:

Primeiramente vamos abrir o terminal e digitar

$su

Como previsto o sistema não vai pedir senha e se tornar root.
Agora como root vamos digitar o comando:

#passwd root

Aparecerá a seguinte mensagem:

Mudando senha para o usuário root.

Nova UNIX senha:

Importante: Escolha uma senha forte com letras, números, maiúsculas e minusculas se você digitar uma senha fraca de qualquer espécie o sistema vai avisar quanto a fraqueza da senha mas, se não quiser escolher outra senha mais dificil é só repetir a mesma senha (de duas letras não pode) e finalizar a troca de senha do root.

Agora faça a mesma coisa para o usuário liveuser:

#passwd liveuser

E repita duas a vezes a senha escolhida e já teremos trocado as senhas do root e do liveuser.

Desabilitar login automático:

Vá para a pasta gdm e abra o arquivo custom.conf.

#cd /etc/gdm
#gedit custom.conf

Vai aparecer algo assim:

# GDM configuration storage

[xdmcp]

[chooser]

[security]

[debug]

[daemon]

TimedLoginEnable=true

TimedLogin=liveuser

TimedLoginDelay=60

Comente as ultimas 3 linhas colocando um # na frente salve e feche o arquivo. Esse procedimento é melhor do que apagar o aquivo, pelo fato de que se quisermos voltar como era antes (login automático) é só descomentar as linhas.

Faça o mesmo com o arquivo chamado custom.conf.livna-config-backup, que nada mais é um backup do primeiro.

Agora é só reiniciar o sistema pela usb novamente que na tela de inicialização já vai aparecer o campo para digitar a senha.

Leia também:

Instalando o Fedora 10 em um pendrive.

Instalando o Fedora 10 em pendrive parte 2

Fedora 10 no PenDrive parte 2.


pen-lego-drive

pen-lego-drive

Para quem acompanhou o tutorial de instalação do Fedora 10 no Pendrive e teve dificuldades em conseguir no Fedora 10 versão nacional com o BrOffice.org este post tentará dar uma mãozinha.

Obs: Esse procedimento eu fiz após frustrantes procuras na internet a respeito do erro que dava. E a luz no fim do túnel so veio quando eu fiz o procedimendo no Windows, e deu certo então chequei a conclusão que não era necessario estar o pendrive desmonstado para fazer o procedimento, já que o windows não tem esse recurso (ele não tem nenhum recurso mesmo!).

Então mãos a Obra.

Um Bug (não sei se é um bug, mas aconteceu comigo) que me irritou durante uns dois dias, foi o fato de que o Liveusb-Creator 3,2 ultima versão, do Fedora 10 não estava funcionando corretamente com o Spin do Fedora 10 em Português (BrOffice.org).
Tudo começou quando fui instalar o Fedora-10-BROffice em um pendrive diferente do que eu já havia instalado várias vezes antes(nota: o mesmo processo foi feito como o Fedora 9 e o Fedora 10 Pré Release sem problemas) mas desta vez o negócio teimava em dar errado, simplesmente dava uma mensagem de divide não encontrado (ou algo do gênero) depois de muito procurar na Internet eu não achei nada, então tive uma ideia e botei-a em prática.

Vamos lá. Primeiro coloque o pendrive e espere ele ser reconhecido pelo sistema, irá aparecer no seu desktop um ícone com um nome, que é o mesmo nome que o sistema criou na pasta /media, no meu caso KINGSTON, clique com o botão direito do mouse sobre o ícone na área de trabalho e clique em desmontar volume, o ícone irá desaparecer e a pasta criada no diretório /media também.
Agora abra um terminal e torne-se root:

$ su
sua senha

Vá para o diretório /media.

# cd /media

E crie uma pasta (ponto de montagem) com o mesmo nome que o sistema reconheceu o seu pendrive. No meu caso KINGSTON

#mkdir KINGSTON -> Lembre-se de respeitar as maiúsculas e minusculas
# mount /dev/sdb1 /media/KINGSTON

Onde o “#” não precisa digitar “/dev/sdb1” é o nome dado ao meu pendrive no diretório /dev, mude de acordo com o seu sistema, e “/media/KINGSTON” é o diretório (pasta, ponto de montagem – chame como quiser) que você criou.

Agora prossiga com o tutorial normalmente, que dará (para mim deu) certo.

IMPORTANTE: Uma vez montado o pendrive como foi descrito acima não será possível desmontar via clique do mouse, botão direito e desmonta volume, terá que ser digitado o seguinte comando como root:

# umount /media/KINGSTON

Lembre de trocar o KINGSTON pelo nome correto do seu pendrive e não pode ser dado o comando dentro da pasta tem que estar fora da pasta KINGSTON.
Espero ter ajudado e se alguém souber explicar o porque desse Bug (se for um bug) nos diga por favor.

Leia também:

Fedora 10 no Pendrive (liveusb) com senhas

Instalando o Fedora 10 em um pendrive de 2GB

Como instalar o Ubuntu 8.10 em um pendrive

Dica de leitura: Shell Script Profissional