The Flash. Episódio piloto e as minhas impressões iniciais.


the-flash

Tive a sorte de encontrar nos torrents da vida o episódio piloto de “The Flash” e abaixo segue um breve relato das minhas primeiras impressões, cuidado pode conter alguns leves spoilers.

Logo no inicio do episódio somos indagados por Barry Allen a acreditar no impossível e vemos apenas uma mancha vermelha passar muito rápida pela tela logo descobrindo quem era. Então somos levado para a infância do pequeno Barry em um momento no qual ele sofre bullying de outros garotos e após apanhar um pouco chega em casa reclamando que não conseguia fugir por não ser rápido o bastante, sua mãe o conforta dizendo que é melhor um coração bom do que velocidade, ledo engano.

Então, como a todo aspirante a super herói, acontece uma tragédia surreal a qual culmina na morte da sua mãe e na prisão do seu pai acusado da morte dela fazendo com o pequeno Barry seja criado pelo policial pai de sua melhor amiga. Ele cresce e se torna um cientista forense meio excêntrico porém competente, e muito nerd.

Tudo ia muito bem na vida de Barry Allen, mas na noite da inauguração de um colisor de partículas na cidade acontece uma tragédia. O colisor falha e causa uma explosão que espalha uma nuvem de raios supostamente mortais pela cidade. Porém um pouco antes do acontecimento ele percebe que alguns fatos estranhos estão acontecendo bem parecidos com os da ocasião da morte da sua mãe, então um desses raios o aceta em cheio mandando o, para o hospital. Ele fica em coma durante nove meses e acorda no laboratório do cientista do qual ele é fã e que era responsável pelo colisor de partículas que explodiu, eles tentam explicar o que aconteceu, mas Barry só que saber de sair e não dá a mínima para o ocorrido, porém logo começa a descobrir que ele está realmente mudado.

No geral gostei de tudo que vi, o ator que faz o Flash é bem carismático, os outros personagens também são bons. Encontrei, o que eu acho que é, um easter egg fazedo referencia à série The Big Bang Theory (encontrem) provavelmente agradecendo as vezes que o Sheldon fez alusão ao super herói. Ele também se encontra com Arrow (que não assisti) pedindo conselho, indicando que podem haver crossovers e isso é bem legal.

Confesso que percebi algumas semelhanças com o Espetacular Homem Aranha e em outras vezes algumas cenas me lembraram X-men, (sim eu sei a diferença entre DC e Marvel), pode ser apenas impressão minha, mas foi um ponto a favor na minha opinião. O episódio piloto tem quase 47 minutos, fato que espero que se repita nos próximos episódios,os efeitos especiais são dignos de um bom filme e teve boas cenas de ação e o texto foi bem fluido. Confesso que nunca acompanhei as histórias do Flash, então não sei o que está fiel ou não a história dele, só sei que de agora em diante irei acompanhar esta série. No final ainda tem outra deixa muito legal referente a uma história da liga da justiça onde o Flash desaparece, espero que explorem isso na série futuramente ou nos filmes da Liga da Justiça.

Este primeiro episódio de “The Flash” abre uma leque de possibilidades bem grande, deixando várias perguntas e nenhuma resposta, a única certeza que temos é que tem tudo para ser uma ótima série.

Um samurai, miojo e a Copa do mundo uma mistura que deu certo.


O que você faria se de repente um Samurai aparecesse na sua frente? Eu pediria um autógrafo é claro e tiraria uma selfie, assim como faria com um Zumbi. Porém este samurai não é qualquer um, ele é o campeão de Futebol Freestyle Kotaro Tokuda, e o que ele pode fazer com uma bola você pode ver no vídeo a seguir, legal demais.

Este vídeo foi feito como anúncio do macarrão instantâneo Nissin Cup Noodle, misturando coisas que a princípio não tinham nada a ver, mas que devido a Copa do Mundo conseguiram a conotação desejada e convenhamos é muito mais legal ver um Samurai jogando bola do que uma pessoa normal não é.

 

Dica: Instalação do skype no OpenSuse e outros linuxes, modo simples


open-suse-logo

Dica rápida e que pode ser facilmente adaptada para outras distrôs. No caso eu tenho o OpenSuse 13.1 instalado e quero instalar o Skype para Linux então mãos a obra.

A primeira coisa a ser faita é fazer o download do Skype para Linux aqui. No meu caso baixei o skype-4.2.0.13-suse.i586.rpm, feito isso o próximo passo é resolver as dependências.

O modo difícil, mas nem tanto assim, é digitar o comando abaixo e verificar quais são as bibliotecas das quais o Skype precisa para funcionar, o que vai variar dependendo de como esta a sua instalação do OpenSuse, e instalá-las uma a uma ou todas de uma vez, mas vai depender de você instalá-las o que pode ser meio chato para iniciantes em linha de comando e depois de satisfeitas todas as dependências rodar o comando novamente instalando assim o Skype.

OBS.: Não mostrarei como instalar as dependências manualmente.

# > rpm -ivh skype-4.2.0.13-suse.i586.rpm

Porém eu disse que usaríamos o modo simples então let’s do it. No modo simples só precisamos de um único comando e o sistema gerenciador de pacotes faz o resto para você, zypper. O zypper vai se encarregar de detectar as bibliotecas faltantes e instalá-las para você além de ao final deste processo instalar o aplicativo em si. Normalmente se um aplicativo está no repositório não é preciso baixá-lo para instalação, mas no caso do Skype se faz necessário. Com o arquivo do para a sua versão baixado digite:

# > zypper in skype-4.2.0.13-suse.i586.rpm

Responda sim (s) para as perguntas e espere o zypper terminar a instalação. Uma vez terminada a instalação já será possível encontrar o Skype dentre os aplicativos do sistema, daí é só usar.

Outra forma que pode ser considerada fácil também é, que depois de baixar o arquivo do skype para o seu computador, basta dar dois cliques nele que o OpenSuse pergunta se o usuário quer abrir o programa com o sistema gerenciador de pacotes yast, que seria como se fosse a versão gráfica do zypper, em caso positivo será perguntado a senha do super usuário (root), de resto funciona da mesma forma, o Yast vai procurar as dependências e instalar o programa em seguida. Um pequeno adendo: nos comandos acima onde está escrito “# >” significa que o comando deve ser digitado como root.

Como havia dito esse processo pode ser adaptado para outras distros (Fedora, Ubuntu, etc).

No caso do Fedora use na linha de comando o YUM desta forma.

# > yum install skype-<para o fedora>

No Ubuntu use o apt-get assim:

# > apt-get install skype-<para o Ubuntu>

Espero que esta dica seja útil, até a próxima.

Livre arbítrio, você acha que tem? Ou 9 razões para não se acreditar em livre arbítrio.


Muitas crenças e dogmas que são cunhadas nas religiões e que são tomadas como verdade nunca são contestadas pelas pessoas, que seguem suas vidas sem pensar a respeito. Veja por exemplo o caso de Adão e Eva, segundo a bíblia uma mulher feita da costela de um homem (portanto teriam o mesmo DNA) foram precursores de todos os 7 bilhões de pessoas que temos hoje no mundo e no processo claro houve bastante relação incestuosa, afinal a bíblia não proíbe essas coisas. Ou o caso de Caim, que ao matar Abel, foge para outras terras onde já existiam pessoas vivendo lá, sendo que até aquele momento só havia Adão, Eva, Abel (morto) e Caim que fugiu para outras terras e se casou por lá. De onde vieram essas pessoas?

Mas o tema que quero abordar é outro que os cristãos pregam como verdade, porém tal fato só e possível para pessoas não cristãs, o livre arbítrio. O livre arbítrio é uma verdade da igreja aceita por todos e não é contestado por ninguém, porém religião e o mito de deus são contrários ao livre arbítrio, deixando apenas aos céticos o sabor de poderem decidir por eles mesmos as suas breves vidas.

9 Razões pelas quais não se deve acreditar em livre arbítrio.

 

  1. Deus é onisciente, então ele sabe o que você vai fazer antes de você mesmo sequer pensar.
  2. Existe (supostamente) um plano divino, portanto deus não vai mudar o plano dele só por você. Ou você se acha mais especial que os outros?
  3. Ele sabe o que você pensa, ou seja não dá para enganá-lo, só para o caso não ter entendido ainda.
  4. Mesmo que você realmente acredite que irá cumprir uma promessa a deus, ele saberá o momento exato que você irá sucumbir e fazer tudo ao contrário. Só um detalhe, ele já sabia no mesmo dia em que você prometeu.
  5. Castigo sem fim, viagem às profundezas do Inferno, danação eterna entre outros. Se você tomar qualquer decisão baseada no medo ou porque acha que vai ser castigado convenhamos que você foi induzido a uma escolha e você não tomou uma decisão imparcial.
  6. Não importa o que você faça, no momento que você nasceu deus já sabia se você iria para o céu ou iria para o inferno, pois ele sabe de tudo.
  7. Se o mal existe é para que o bem triunfe. Então não estaria uma pessoa má cumprindo um papel já designado para ela sendo assim privada do seu livre arbítrio em prol do bem maior?
  8. Deus te fez assim não adianta lutar. Tentar mudar o que ele fez é apenas lutar contra deus e não adianta nada.
  9. Quando você diz: – “qualquer coisa”, se deus quiser! Está admitindo que não adianta o que você queira e sim o que deus quiser, aplique isso a qualquer momento que você diz que – deus sabe o que faz – e você vai entender que não tem livre arbítrio para você, portanto não reclame da sua vida afinal foi deus quem fez assim.

Para terminar um ótimo vídeo explicando tudo que exatamente Ateísmo não é, religião.

Software livre, India e edução podem dar uma boa mistura


frase-steve-jobs

Gujarat é um dos 28 estados da Índia, sendo um dos estados mais desenvolvidos deste país. Gujarat possui uma área de 196024 km² e cerca de 60 milhões de habitantes (dados de 2011), só para efeito de comparação, o estado de São Paulo tem 248222 km² e cerca de 44 milhões de pessoas (dados de 2013).

E o que tem isso a ver com Software Livre e educação? O fato é que um projeto chamado Li-f-e MATE, um live DVD baseado no OpenSuse 13.1 e o desktop MATE, está sendo usado nas escolas de Gujarat – Índia, para ensinar computação aos jovens estudantes.

Segundo um post no site do OpenSuse, apartir do 9º ano escolar  eles começam a aprender ferramentas de computação que vão desde usar o Libre/OpenOffice até programação em C e Java. Não sei como funciona exatamente a grade escolar deles, mas pelo que está descrito é mais ou menos o padrão adotado hoje no Brasil e ficou assim.

  • 9º ano aprendem a usar o Libre/OpenOffice.
  • 10º ano os alunos aprendem a mexer com linha de comando e Shell Script.
  • 11º e 12 º anos os alunos aprendem C, Java, JavaScript e HTML.

O Li-f-e MATE ainda traz o Synfig Studio que é um software de animação 2D open source que pelo visto também esta sendo usando nas escolas, de resto é uma distribuição Linux normal e para quem não sabe o que é o MATE, ele é um desktop baseado no  Gnome 2, porém possuindo compatibilidade com as novas tecnologias, mantendo-se simples e rápido.

Gosto de iniciativas que visam ensinar computação e principalmente programação nas escolas, pois aprendendo programação e lógica elas aprendem a pensar de fato em resolver problemas de uma forma melhor. É claro que aprender a programar  não é um remédio que serve para tudo, porém porque não ensinar programação ao invés de religião ou educação moral e cívica nas escolas, uma vez que é imensamente melhor ensinar alguém a pensar do quê a obedecer, fazer à repetir apenas. Infelizmente os governos preferem eleitores burros.

[fonte: Opensuse]

O paradoxo de Epicuro e a existência de deus


No post anterior no qual falava sobre paradoxo, acabei me deparando com um paradoxo que aborda um tema que gosto de discutir imensamente: Deus existe? Ele é bom? Por quê ele deixas as coisas acontecerem? Essas perguntas podem ser respondidas ou não pelo Paradoxo de Epicuro.

Resumindo, o paradoxo de Epicuro trata dos dogmas da igreja a respeito de deus (judaico), no caso a sua Onisciência (aquele que sabe de tudo, inocente), Onipotência (aquele que pode fazer qualquer coisa), e a Onibenevolência (aquele que tem bondade suprema).

Na minha opinião se analisarmos o caso da Onisciência sozinho, de cara acharíamos algo de errado, pois se deus sabe de tudo (TUDO mesmo), por si só o mito do livre arbítrio cairia por terra, pois se alguém sabe o que você vai fazer, mesmo antes de você mesmo saber que iria fazer algo, não é ter escolha é ter destino o que são conceitos contrários, sendo assim ele saberia no ato do seu nascimento se você seria levado por anjos ou puxado por capetinhas.

Se o fato de saber que deus, de antemão, sabe antecipadamente o que você vai fazer independente das suas escolhas, não te incomoda, saber que ele tem o poder fazer qualquer coisa (Onipotência)e poderia mudar o mundo, mas não o faz (ser adorado não vale) não deve nem arranhar os seus joelhos de ajoelhador (parafraseando Mance Rayder). Eis um exemplo desta loucura: deus sabe que amanhã vai nascer um cara que quando tiver 25 anos vai estuprar e matar uma garotinha de 7 anos e mesmo assim ele permite que isso aconteça, mesmo sabendo que o cara não vai se arrepender do mal que fez. Entenda aqui, que deus sabe antecipadamente o que o sujeito vai fazer e que ainda por cima não vai se arrepender, desta forma indo para inferno. O que deus está fazendo em uma hora dessas?

Outra análise é a da bondade. O que é ser bom para você? Se você presencia um crime e o esconde a verdade da polícia você pode até ser preso por cumplicidade. Ser bom, na minha visão, implica em uma ação. O que estou querendo dizer é, que se uma pessoa apenas deixar de fazer algo que é considerado como mal (sim, porque até isso é relativo), ou seja uma boa pessoa faz o bem e não apenas deixa de fazer o mal. Agora imagine algo ou alguém que extrapola o nosso conceito de bondade, pois supostamente ele tem uma bondade suprema e infinita e mesmo assim permanece estático ou na melhor das hipóteses escolhe um favorito para dar algumas riquezas, vitórias, fama e glória. Este deus pode ser considerado bom? As pessoas estão morrendo de fome e por falta das coisas mais básicas em todo o mundo, deus está sendo bom sendo um agente passivo e deixando as coisas do jeito que estão? Não era mais fácil, assim todos acreditariam nele, se ele chegasse estralasse o dedo e consertasse esta droga? Pense nisso.

O Paradoxo de Epícuro.

Depois de uma não tão breve introdução ao assunto e sobre o que eu penso a respeito, vamos ao motivo do post.

O paradoxo de Epicuro afirma que se pegarmos quaisquer duas características citadas acima, e que são consideradas verdeiras (pelos religiosos) a terceira restante é excluída, vamos ver na prática.

  • Se deus é onisciente e onipotente, ele sabe de todo o mal e pode acabar com ele, porém não o faz, sendo assim ele não é bom, pois é um ser passivo perante as desgraças do mundo.
  • Se deus é onipotente e onibenevolente, ele pode exterminar com todo mal e o quer fazer, já que sua bondade é infinita, porém não o faz porque não sabe como fazer ou seja, não é onisciente.
  • Se deus é onisciente e onibenevolente, ele sabe sobre todo o mal que existe e, por causa da sua bondade, quer exterminá-lo, porém não o faz poque não pode sendo assim não é onipotente.

Indo um pouco mais além, já pensaram que sim, a vida na terra possa ter sido criada por um ou mais seres e que poderiam ser mais avançados (ou não), inteligentes e poderosos do que nós somos, e que esses seres sim podiam ter defeitos? Eles ainda seriam deuses para você, ou seriam apenas coisa de outro mundo?

Uma frase para pensar: “Se não existe vida fora da terra, então o universo é um grande desperdício de espaço”. Carl Sagan

Evolução é isso

Leiam essa tirinha que é muito boa em: http://www.umsabadoqualquer.com/?desde-o-comeco

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 394 outros seguidores